Dicas de Viagem para a Rússia: 10 Coisas que Você Precisa Saber

Nesse artigo vamos mostrar 10 Dicas de viagem para a Rússia que você precisa saber e poder viajar com tranquilidade e menos preocupações! 🙂

Confira as 10 Dicas de viagem para a Rússia:

Dica número 1:

Aprender o alfabeto cirílico. Eu sei que parece muito difícil porque é um alfabeto muito diferente do nosso, mas não é impossível. Eu aprendi a ler o alfabeto cirílico, que eles usam na Rússia. A maior parte das letras tem equivalente no nosso alfabeto, então a gente vai aprendendo, por exemplo, que o H tem som de N, o X tem som de R… e assim a gente já vai conseguindo ler várias palavras que eles escrevem russo mas que se parecem com português ou com inglês, alguma coisa assim semelhante.

Então, por exemplo, eles usam a palavra “supermarket” e dá pra gente ler. “Metrô” também só com a transliteração a gente já consegue entender… e várias outras palavras que são comuns, por exemplo expresso, de café expresso, se escreve igual… Tem muitas palavras que a gente já começa a entender e já vai ajudando a gente a se virar

Dica número 2:

Ensaiar frases úteis. Por mais que as letrinhas ajudem a gente entender algumas palavras que são mais internacionais, tem algumas expressões do idioma que a gente não consegue fazer assim ao pé da letra.

Então algumas frases mais úteis é importante a gente já decorar, ou já levar uma cola Então, por exemplo, para pedir o ingresso num museu ou comprar um bilhete de metrô qualquer coisa que possa traduzir por ticket, você pode pedir “adin biliet” Se quiser dois, “dva bilieta”. A mesma coisa vale para o vocabulário de restaurante e de bar: as coisas que você já costuma pedir, é legal você já saber como se chamam em russo. Então, por exemplo, para pedir uma cerveja, você pede “adin piva”. E para pedir por favor, você fala “adin piva pajalsta”. Também é bom aprender o vocabulário de restaurantes se você tiver alergia a algum tipo de alimento, é bom aprender como é essa palavrinha em russo para ficar de olho no cardápio e não acabar comendo por engano…

E também o contrário, se você gosta muito de alguma coisa, também vale a pena aprender essas palavras. Eu aprendi, por exemplo, frango e queijo porque eu sou meio ruim de garfo, mas normalmente qualquer tipo de massa com esses recheios, pra mim, já é tranquilo. “Gadía” quer dizer “onde fica”. Então aos poucos você vai aprendendo as palavrinhas e começa a juntar frases. Então, por exemplo, se você quiser ir para o Kremlin, você pergunta “Gadía Kremlin” e a pessoa te aponta a direção. Você vai aprendendo a se virar…

Dica número 3:

Andar de metrô e usar um mapa bilíngüe. É muito lindo! Na Rússia, as estações não são só um lugar de passagem Elas têm uma arquitetura linda e fazem parte da história da Rússia. Elas foram construídas para ser uma espécie de “palácio do povo” durante o período soviético então elas têm lustres, têm murais… são absolutamente incríveis! Vale muito a pena andar de metrô. O metrô funciona super bem, tanto Moscou quanto em São Petesburgo Os trens são muito rápidos, a cada 30 segundos passa um outro.

Vale a pena usar esse meio de transporte para andar pela cidade. Recentemente as estações de metrô passaram a ter algumas placas bilíngues, mas isso não é tão comum Então é importante você ter um mapa bilíngüe para saber qual o nome da estação porque quando eles anunciam naquele aviso do metrô, não dá pra entender o que estão falando. Se você está querendo ir para a estação Moskovskaya, é importante você saber como se escreve isso, pra ficar de olho nas placas e saber quando descer. Uma dica legal que pode ser útil é que tanto o metrô de Moscou quanto o metrô de São Petersburgo têm aplicativos oficiais que você pode baixar no seu celular para acompanhar o trajeto e para planejar como é que vai ser a ida de um lugar para o outro.

Quando você estiver andando a pé, a dica é usar o aplicativo maps.me que é um dos melhores que eu conheci para usar offline e funciona muito bem. Ele consegue diferenciar se você está em um canto do quarteirão ou no outro. Tem uma precisão muito boa.

Dica número 4:

Ficar pelo menos 4 dias na cidade. Moscou e São Petersburgo não são cidades pequenas e têm muita coisa pra fazer! Então até você chegar lá e começar a se ambientar, aprender a andar de metrô, conhecer os restaurantes e tal… Vale a pena você passar um tempinho um pouco mais confortável para pegar o jeito das coisas e começar realmente a curtir a vibe do lugar. No caso de São Petersburgo, vale a pena até ficar um dia mais porque lembra que eu falei do Palácio de Catarina e do Palácio de Peterhof? Eles são grandes atrações da cidade e ficam fora do centro, então são passeios que tomam quase o dia inteiro.

Leva mais ou menos uma hora e meia para chegar nesses palácios E esses palácios também têm jardins enormes, que são lindos. E se chover vai atrapalhar um pouco o passeio… Então é legal deixar um dia extra no roteiro para, se tiver algum imprevisto, não deixar de conhecer esses lugares.

Dica número 5:

Viajar na primavera Eu sempre achei que, se eu viajasse para a Rússia, teria que ser no verão por causa do clima de lá mas eu viajei na primavera e adorei! Os lugares turísticos são muito menos cheios do que no verão e os russos estão num estado de espírito muito feliz que eles acabaram de sair do inverno, que é super frio, então a cidade fica no clima super bom, super gostoso.

Também não peguei frio lá. Tinha que levar um casaco, para usar à noite, mas eu achei que viajar na primavera foi bem tranquilo e muito menos concorrido, muito menos cheio do que no verão.

Dica número 6:

Pedir dicas de restaurantes no albergue em que você ficar. Os restaurantes na Rússia não são muito baratos, e existe uma diferença de preço muito grande de um para o outro. Se você entrar na porta errada, vai ter que largar sua carteira inteira lá. Então uma coisa que foi super legal na nossa viagem foi contar com a dica das meninas do albergue em que a gente estava ficando pra saber onde encontrar um restaurante com bom custo-benefício.

Fez muita diferença. Você também pode aproveitar para conhecer os restaurantes que têm culinária típica dos outros países da União Soviética: comida georgiana, ucraniana… Tem muita diversidade nos restaurantes da Rússia e vale muito a pena aproveitar para experimentar essas comidas que são diferentes são uma delícia!

Dica número 7:

Comprar comida nos supermercados. Se pedir dicas de restaurantes já ajudou um bocado para economizar, comprar comida em supermercado foi o que realmente fez a gente equilibrar o orçamento durante a viagem. Os supermercados na Rússia ficam meio escondidinhos. Como a gente não conhece as marcas de lá, a gente não consegue identificar direito que é um supermercado. Eles não têm vitrine tão aberta quanto as nossas, porque ela fez muito frio então os supermercados ficam dentro de prédios mais fechados, alguns tinham uma escada para entrar… Então também pode ser interessante você pedir indicação no hotel ou no albergue para saber onde tem um supermercado por perto. Eles têm preços muito bons e realmente ajuda a equilibrar o orçamento.

Como a maior parte dos hotéis na Rússia, pelo que eu vi no Booking, na época que estava reservando, não incluem café da manhã, esta é uma forma legal de começar o dia mais rápido e economizar uma grana. Quando for fazer o passeio para os palácios, também pode ser legal levar um piquenique ou alguma coisa para comer no jardim

Dica número 8:

Evitar contato com a polícia Eu não passei por nenhuma situação de insegurança na Rússia, foi tudo muito tranquilo e eu não senti medo em momento nenhum. Mas eu tomei 3 cuidadinhos que vale a pena seguir também: primeiro, evitar contato com a polícia, pois a polícia de lá é conhecida por fazer pequenos golpes e dar uns certos sustos nos turistas Embora eu não tenha testemunhado nada, eu evitei falar com eles eles e nem para pedir informação, eu não falava com os policiais. Outra dica é tomar cuidado com pick pockets, aquela galera que rouba carteira ou pega coisa da bolsa nos lugares muito cheios, porque nas atrações turísticas, nos palácios, no Kremlin…

Fica realmente muito cheio de gente e isso pode acontecer em qualquer lugar. E a outra questão de segurança que é importante é ficar sempre de olho no seu passaporte. No hotel ou em qualquer lugar, deixa ele sempre com você não deixa ninguém tirar o seu passaporte da sua vista.

Dica número 9:

Levar dinheiro para a balada. A balada em São Petersburgo e Moscou funciona mais ou menos como os pubs de Londres e tal você primeiro pede a bebida no bar e já deixa pago, e só depois é servido. Não tem uma conta como a gente abre aqui no Brasil, que vai pedindo as coisas e paga só no final da noite. Então é importante levar dinheiro no bolso, de preferência trocado, para ir pagando aos poucos enquanto está na noite.

Dica número 10:

Comprar um chip 3G. É bem tranquilo encontrar chip de celular para comprar na Rússia. Vende no aeroporto, em estação de metrô, nos shoppings… Tem 3 marcas que são principais: MTS, Beeline e Megafon O chip com 3G ilimitado e uns 400 minutos de ligação custa por volta de 400 rublos, que dá cerca de uns 30 reais, então não é muito dinheiro e quebra um galho para pegar Uber, para olhar o mapa e para usar o Google Translate, que tem uma função super legal que traduz placa ou cardápio, então você consegue apontar o celular para o cardápio do restaurante e ver a tradução para saber o que é cada prato.

Mas de qualquer forma na Rússia não é muito difícil encontrar wifi. Tem wifi nas estações de metrô, a maior parte dos albergues dos hotéis hoje em dia já têm wifi liberado… E tem também as redes de fast-food, tipo Teremok, que têm wifi livre, e ninguém se pergunta se você está consumindo, então você pode sempre quebrar o galho perto de uma dessas lanchonetes. E se você já conhece Moscou e São Petersburgo, conta pra mim como foi a experiência de estar lá, me diz quais são as suas dicas! Dá um like no vídeo e não deixa de seguir o canal. A gente se vê semana que vem!.

Encontramos esse conteúdo no Youtube

Veja também: Viaje de avião de graça? Sim, é possível

Dicas de Viagem para a Rússia: 10 Coisas que Você Precisa Saber
5 (100%) 1 vote